01
Jun 08

Image and video hosting by TinyPic

Há 14 (quatorze) anos, em 1994, Jean Carlo lançava seu primeiro disco (ainda de vinil) intitulado Vlad V (Lê-se "Vlad Quinto"). De lá para cá, com a banda já formada, vem encarando muitos desafios, lançaram mais três CD´s, conquistaram um público fiel e arrancaram elogios da crítica especializada nacional e internacional, tornando-se uma das mais importantes bandas do sul do Brasil. Com uma criativa mistura de rock, MPB e progressivo, Jean e sua banda continuam fazendo uma música forte e sincera, além de manter vivo o som dos ídolos, como Jethro Tull, Zé Ramalho, Rush, Raul Seixas, Led Zeppelin, Alceu Valença, Janis Joplin, entre vários outros. Para 2005 preparam o seu quinto disco. Viagens Acústicas reúne releituras de canções do Vlad que se destacaram ao longo da carreira da Banda, novas composições e versões que vão de Jethro Tull a Janis Joplin, todas em um formato acústico já aprovado pelo público nos shows de 2004. Infelizmente a burocracia em torno das leis de direitos autorais impediu a banda de realizar um dos seus sonhos, gravar com artistas nacionais, como Alceu Valença e Zé Ramalho.

Image and video hosting by TinyPic

Apesar desse detalhe, o disco está recheado de boas influências: folk, MPB, rock, música instrumental e blues. Mantendo a linha de sempre cantar suas composições em português, a banda caminha ao lado de seus fãs, seja falando da infância no Vale do Itajaí-Açu (Sul do Brasil – Blumenau/SC) ou de uma cerveja com os amigos no bar. O Vlad V desenvolveu identidade própria lapidada ao longo de seus anos de estrada. Em 2007, Vlad V retorna às guitarras no CD "Siga o Som", mas sem abandonar climas mais amenos ... O álbum reúne música e poesia, em um som genuíno e sofisticado ao mesmo tempo. ... Além do vasto repertório próprio, o Vlad V exibe seu virtuosismo em "Siga o Som". É isso ai estamos em 2008, qual a novidade??? Coletânea Longe do Fim, o Rock não morreu, e jamais morrerá, enquanto o Vlad V existir!. O novo CD vem repleto de várias músicas, lançadas nos CD's anteriores da banda, como Filhos de uma Era, Anjos da Paz e muitos mais... Vlad V voltando ao passado, sem dúvida, o fator determinante do nosso presente.


Formação Atual:

Jean Carlo de Souza (Guitarra, Violão, Bandolim, Harmônica, Flauta e Vocais);
Claudio Castilho Reif (Baixo);
Flavio Theilacker (Bateria);

Ex-Integrantes:

Jairson Dorigatti (Doriga) (Teclados, Acordeon e Vocais);
Humberto Klitzke (Baixo, Violão, Bandolim e Vocais);
Beto Luciani (Guitarra, Violão e Vocais);
Pablo Demarchi (Violão);

Site Oficial: http://www.vladv.com.br/



Vlad V

Image and video hosting by TinyPic

01. Filhos de uma Era
02. Asas de um Louco
03. Criança da Noite
04. Anjos da Noite
05. Nos Campos da Mente
06. É Hora de Despertar
07. Sobre as Montanhas
08. Salamandra
09. Biafare


A Espada e o Dragão

Image and video hosting by TinyPic

01. Longe do Fim
02. A Espada e o Dragão
03. Face das Sombras
04. Borboleta da Noite
05. Mama
06. Entre as Nuvens
07. Canção de um Nômade
08. Pã
09. Vlad V


O Quinto Sol

Image and video hosting by TinyPic

01. Na Estrada
02. O Momento
03. Em Suas Mãos
04. Guardião dos Sonhos
05. Lago Sagrado
06. Olhos da Noite
07. O Chamado da Montanha
08. Fique Atento
09. Mundo Afora
10. Um Lamento
11. Morgenland
12. O Guerra Vence o Homem
13. Caminho do Vento
14. O Quinto Sol


Volume IV

Image and video hosting by TinyPic

01. Os Donos do Poder
02. Káli
03. Dança de Shiva
04. Plantar, Colher
05. Vento Sul
06. Thick As a Brick
07. Pôr-do-Sol em São Chico
08. O Pescador
09. Cavaleiros na Paisagem
10. Doce Lar dos Malucos
11. Move Over
12. Não se Deixe Levar Por Seus Olhos
13. Cavalgada
14. Tull Medley


Viagens Acústicas

Image and video hosting by TinyPic

01. Intro
02. Cavaleiros da Paisagem
03. Doce Lar dos Malucos
04. Entre as Nuvens
05. Lago Sagrado
06. Mercedez Benz
07. Asas de um Louco
08. Vale das Nascentes
09. Questão de Tempo
10. AS Montanhas do Sul
11. Olhos da Noite
12. Locomotive Breath



Siga o Som

Image and video hosting by TinyPic

01. Siga o Som
02. Meia Noite
03. Agora Eu Sei
04. SP 1992
05. Vinte e Poucos Anos
06. Vento Sul
07. Borboleta da Noite
08. Setembro
09. Flor da Mata
10. Três Mistérios
11. El Condor Pasa



Longe do Fim

Image and video hosting by TinyPic

01. Entre as Nuvens
02. Vento Sul
03. Doce Lar dos Malucos
04. Olhos da Noite
05. Mercedez Benz
06. Plantar, Colher
07. Biafare
08. Mama
09. A Espada e o Dragão
10. Borboleta da Noite
11. Vinte e Poucos Anos
12. Cavaleiros na Paisagem
13. Na Estrada
14. O Pescador
15. Anjos da Paz
16. Lago Sagrado
17. Não Deixe Levar Por Seus Olhos
18. Filhos de uma Era
19. Dança de Shiva
20. É Hora de Despertar
21. Longe do Fim

publicado por wlasol às 19:22
tags:


Mocinhos e mocinhas, coisinhos e coisinhas... Mais um pouco de rock brasileiro (embora nem todas as melóóóódias dessa coleção sejam "rigorosamente" rock'n'roll. Mas têm a atitude e influenciou o rock tupiniquim).

Com essas postagens de 1975-1976 chegamos ao pleno domínio do Casa das Máquinas, Rita Lee, Raul Seixas, O Terço e surpresas escondidas como Eduardo Araújo misturando rock com baião. As "viagens" sensacionais de Lula Cortês e Zé Ramalho; o estranho (mas não surpreendente) "diálogo" entre Raul Seixas e Silvio Brito. Joelho de Porco e Made in Brazil, mostrando sua força.

Não está tudo aí. Sei que falta muita coisa. Mas espero que possam aproveitar o quem tem... Algumas músicas são verdadeiros marcos, hinos, de toda uma geração e admiradas, cantadas e
coveradas (puta que o pariu!!, essa foi de "rancá pica-pau do ôco") até hoje.

Crianças, ouçam atentamente; estudem detidamente; questionem as harmonias, arranjos, letras desses heróis que sedimentaram o rock'n'rol nessa terra brasilis. Sei que não há nada de novo sob o Sol; mas, também, nada como um dia após o outro...

==>> (TODOS estão com a senha: undiverso) <<==

O Rock Que O Pariu!! 1975

(Parte 1-3) -> 80MB download
01 Rita Lee - Esse tal de Rock Enrow 1975
02 O Terço - Hey Amigo 1975
03 Casa das Máquinas - Casa de rock 1975
04 Novos Baianos - Barra Lucifer 1975
05 O Peso - Cabeça Feita 1975
06 Walter Franco - Eternamente 1975
07 Ze Ramalho e Lula Cortes - Nao existe molhado igual ao pranto 1975
08 Raul Seixas - Tente Outra Vez 1975
09 Rita Lee - Agora só falta voce 1975
10 Azimuth - Linha do Horizonte 1975
11 Veludo - Veludeando (ao vivo) 1975
12 Ze Ramalho e Lula Cortes - Pedra templo animal 1975
13 Novos Baianos - Rocarnaval 1975
14 O Peso - Susi 1975

(Parte 2-3) -> 92MB download
15 Raul Seixas - A Verdade Sobre A Nostalgia 1975
16 Silvio Brito - Espelho Meu 1975
17 Bendegó - Além De Arembepe 1976
18 Os Doces Bárbaros - Chuckberry Fields Forever 1976
19 Trio Mocoto - Não Adianta 1975
20 Novos Baianos - Se Chorar Beba A Lágrima 1975
21 Rita Lee - Ovelha Negra 1975
22 O Terço - Criaturas Da Noite 1975
23 Casa das Máquinas - Mania de ser 1975
24 Walter Franco - Criaturas 1975
25 Ze Ramalho e Lula Cortes - Nas paredes da pedra encantada, os segredos talhados por Sumé 1975
26 Rita Lee - Pirataria 1975
27 Raul Seixas - Novo Aeon 1975
28 Casa das Máquinas - Eu queria ser 1975
29 O Terço - Queimada 1975
30 Raul Seixas - Rock Do Diabo 1975
31 O Terço - Volte Na Próxima Semana 1975

(Parte 3-3) -> 97MB download

31 Rita Lee - Fruto Proibido 1975
32 Eduardo Araújo - Construção 1975
33 Ze Ramalho e Lula Cortes - Maracas de fogo 1975
34 Casa das Máquinas - Jogue tudo pra cabeça 1975
35 Raul Seixas - Tu és o MDC da Minha Vida 1975
36 Eduardo Araújo - Deus lhe pague 1975
37 Novos Baianos - Na Banguela 1975
38 Trio Mocoto - A Tonga da Mironga do Kabulete 1975
39 Eduardo Araújo - Amor escuro 1975
40 Rita Lee - Dançar para não Dançar 1975
41 Casa das Máquinas - Londres 1975
42 Eduardo Araújo - Era um ¡dolo 1975
43 Raul Seixas - A Maçã 1975
44 Rita Lee - O Toque 1975
45 Eduardo Araújo - Os cães ladram e a caravana passa 1975
46 Zé Ramalho e Lula Cortes - Raga dos raios 1975
47 Raul Seixas - Como vovó já dizia 1975
48 Eduardo Araújo - Pelos caminhos do rock 1975

O Rock Que O Pariu!! 1976

(Parte 1-4) -> 92MB download

01 Casa das Máquinas - Vou morar no ar 1976
02 Elis Regina - Como nossos pais 1976
03 Os Doces Bárbaros - O Seu Amor 1976
04 O Som Nosso De Cada Dia - Fragmentações 1976
05 Saecula Saeculorum - Rádio no peito 1976
06 Alceu Valença - Agalopado 1976
07 O Terço - Luz de velas 1976
08 Terreno Baldio - Quando as coisas ganham vida 1976
09 Belchior - Apenas um rapaz latino-americano 1976
10 Roberto Carlos - Ilegal, imoral ou engorda 1976
11 Silvio Brito - Pare o mundo que eu quero descer 1976
12 Raul Seixas - Eu também vou reclamar 1976
13 Joelho de Porco - Debaixo das palmeiras 1976
14 Rita Lee - Arrombou A Festa 1976
15 Made in Brazil - Jack o estripador 1976


(Parte 2-4) -> 72MB download

16 Os Doces Bárbaros - Chuckberry Fields Forever 1976
17 Bendegó - Além De Arembepe 1976
18 Alceu Valença (vivo) - Sol e Chuva 1976
19 Bixo da Seda - Bixo da seda 1976
20 Made in Brazil - Tratamento de choque 1976
21 Casa das Máquinas - Cilindro cônico 1976
22 Bendegó - Olhos de fogo 1976
23 Alceu Valença - Dança das Borboletas 1976
24 Os Doces Bárbaros - Nós, Por Exemplo 1976
25 Raul Seixas - As minas do rei salomão 1976
26 Joelho de Porco - Boeing 723897 1976
27 Made in Brazil - Meu amigo Elvis 1976
28 Casa das Máquinas - Epidemia de rock 1976
29 Made in Brazil - Se eu pudesse voar 1976
30 Bixo da Seda - Um abraço em Brian Jones 1976


(Parte 3-4) -> 73MB download

31 Joelho de Porco - Meus vinte e seis anos 1976
32 Alceu Valença (vivo) - Edipiana #1 1976
33 Os Mutantes - Anjos do Sul 1976
34 Casa das Máquinas - Astralização 1976
35 Made in Brazil - Nao transo mais parte 1 1976
36 Raul Seixas - Eu nasci há 10 mil anos atrás 1976
37 Made in Brazil - Nao transo mais parte 2 1976
38 Joelho de Porco - São Paulo by day 1976
39 Made in Brazil - O rock de Sao Paulo 1976
40 Rita Lee & Tutti Frutti - Corista de Rock 1976
41 Eduardo Araújo e Silvinha (com Dominguinhos) - Misturando Rock com Baião 1976
42 Raul Seixas - Canto para minha morte 1976
43 Eduardo Araújo e Silvinha - Opanigê 1976
44 Made in Brazil - Vou te virar de ponta cabeça 1976
45 Eduardo Araújo e Silvinha - C¡rculo Vicioso 1976

(Parte 4-4) -> 77MB download

46 Rita Lee & Tutti Frutti - Lá vou eu 1976
47 Casa das Máquinas - Lar de maravilhas 1976
48 Eduardo Araujo e Silvinha - O Tempo Que Esse Tempo Tem 1976
49 Bendegó - Onde o olhar não mira 1976
50 Eduardo Araújo e Silvinha - Ter o Que Eu Tenho Sem Você 1976
51 Os Doces Bárbaros - Fé Cega Faca Amolada 1976
52 Casa das Máquinas - Raios de lua 1976
53 Joelho de Porco - México lindo 1976
54 Raul Seixas - O dia da saudade 1976
55 Os Doces Bárbaros - Quando 1976
56 Rita Lee & Tutti Frutti - Superstafa 1976
57 Joelho de Porco - Aeroporto de Congonhas
58 Alceu Valença (vivo) - Você Pensa 1976
59 Rita Lee & Tutti Frutti - Coisas da Vida 1976



O Rock Que O Pariu!! 1977-1980


O Rock Que O Pariu!! 1977

Parte 1-2 69MB baixe
01 Made In Brazil - Paulicéia Desvairada 1977
02 Rita Lee - Arrombou A Festa N# 2 1977
03 A Chave - Buraco no Coração 1977
04 Arnaud Rodrigues - Índio Do Uruguai 1977
05 Flying Banana - Flying Banana 1977
06 Raul Seixas - All I Have To Do Is Dream 1977
07 Made In Brazil - O Dia De Assumir 1977
08 Recordando o Vale das Maçãs - Ranchos, Filhos e Mulher 1977
09 Egberto Gismonti & Nana Vasconcelos - Dança das cabeças parte 1 (trecho) 1977
10 Zé Ramalho - Avohai 1977
11 Vimana - Lindo Blue (Com Walter Franco, Sergio Dias e Arnaldo Baptista) 1977
12 Made In Brazil - É Soda.....É Foda! 1977

Parte 2-2 65MB baixe
13 Alceu Valença - Agalopado 1977
14 Arnaud Rodrigues - Rock De Minas Gerais 1977
15 Flying Banana - Bye Bye 1977
16 Raul Seixas - Blue Moon Of Kentucky 1977
17 Vimana - Avô do Jabor (com Mar¡lia Pêra) 1977
18 Alceu Valença - Sete Léguas 1977
19 Rita Lee & Gilberto Gil - É Proibido Fumar 1977
20 Made In Brazil - Massacre 1977
21 Flying Banana - Curió 1977
22 Raul Seixas - Bye Bye Love 1977
23 Vimana - Zebra 1977
24 Raul Seixas - My Baby Left Me - 30 Days - Rip It Up 1977
25 Rita Lee & Gilberto Gil - De Leve (Get Back) 1977
26 Made In Brazil - Uma Banda Made In Brazil 1977

O Rock Que O Pariu!! 1978

Parte 1-2 74MB baixe
01 Raul Seixas - Maluco Beleza 1978
02 Joelho de Porco - O Rapé 1978
03 Rita Lee - Jardins da Babilônia 1978
04 A Cor do Som (Montreaux) - Brejeiro 1978
05 Made In Brazil - Gasolina 1978
06 Belchior - Divina Comédia Humana 1978
07 Zé Ramalho - Avohai 1978
08 Rita Lee - Modinha 1978
09 Made In Brazil - Eu Vou Estar Com Você 1978
10 A Cor do Som (Montreaux) - Dança Saci 1978
11 Rita Lee - Disco Voador 1978
12 Fagner (com Robertinho do Recife) - Revelação 1978
13 Made In Brazil - A Primeira Vez Que Você Me Deixou 1978
14 Raul Seixas - Eu Quero Mesmo 1978

Parte 2-2 72MB baixe
15 Zé Ramalho - Vila do Sossego 1978
16 Made In Brazil - Finge Que Tropeça 1978
17 Rita Lee - Que Loucura 1978
18 A Cor do Som (Montreaux) - Festa Na Rua 1978
19 Joelho de Porco - Rio de Janeiro City
20 Lirio de Vidro - Vampiro 1978
21 Rita Lee - Eu e Meu Gato 1978
22 Zé Ramalho - Bicho de 7 Cabeças 1978
23 Walter Franco - Coração Tranqüilo 1978
24 Raul Seixas - O Dia Em Que a Terra Parou 1978
25 Rita Lee - Sem Cerimônia 1978
26 Zé Ramalho - A Dança Das Borboletas 1978
27 Rita Lee - Miss Brasil 2000 1978
28 Made In Brazil - Paulicéia Desvairada 1978


O Rock Que O Pariu!! 1979-1980

Parte 1-2 59MB baixe
01 Raul Seixas - Judas 1979
02 Rita Lee (com Roberto de Carvalho) - Papai me Empresta o Carro 1979
03 A Cor Do Som - Frutificar - Ticaricuriquetô 1979
04 Raul Seixas - Conserve Seu Medo 1979
05 Novos Baianos - Boogie Woogie Do Rato 1979
06 A Cor Do Som - Frutificar - Beleza Pura 1979
07 Novos Baianos - Na Fogueira 1979
08 Raul Seixas - Todo mundo explica 1979
09 A Cor Do Som - Itacimirim 1979
10 Novos Baianos - O Tico 1979
11 Rita Lee (com Roberto Carvalho) - Elvira Pagã 1979
12 A Cor Do Som - Semente De Amor 1980
13 Raul Seixas - Aluga-se 1980
14 Quarto Crescente - Mercado Modelo 1980

Parte 2-2 72MB baixe
15 A Cor Do Som - Farraforró 1980
16 Raul Seixas - So Pra Variar 1980
17 A Cor Do Som - Maracangalha 1980
18 Rita Lee e Roberto de Carvalho - João Ninguém 1980
19 A Cor Do Som - Moleque Sacana 1980
20 Raul Seixas - Baby 1980
21 Quarto Crescente - Jovem Guarda (Medeley) 1980
22 Raul Seixas - Anos 80 1980
23 Zé Ramalho - Admirável Gado Novo 1980
24 A Cor Do Som - Danças Das Fadas 1980
25 Quarto Crescente - Boa garota 1980
26 A Cor Do Som - Transe Total 1980
27 Zé Ramalho - A Peleja do Diabo com o Dono do Céu 1980
28 Rita Lee e Roberto de Carvalho - Ôrra Meu 1980

--->> senha para todos: undiverso <<---



publicado por wlasol às 19:12
tags:

Secos & Molhados no Estúdio
Ney Matogrosso, Gerson Conrad e João Ricardo

Grupo vocal e instrumental formado no início dos anos 70 em São Paulo, gravou o primeiro disco em 1973, causando polêmica por sua atitude ousada e performática. O disco vendeu cerca de 300 mil cópias, um verdadeiro feito na época para uma banda até então desconhecida. No ano seguinte o Secos & Molhados saiu em turnê pelo Brasil, lotando teatros e até mesmo o ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Em 1974, eles gravaram mais um LP, mas Ney Matogrosso desligou-se da banda e partiu para a carreira solo, assim como João Ricardo. O grupo voltou a se reunir outras vezes, com formações diferentes. Os grandes sucessos da fase inicial foram "Sangue Latino" (João Ricardo/ Paulo Mendonça), "O Vira" (J. Ricardo/ Luli), "Rosa de Hiroshima" (Gerson Conrad/ Vinicius de Moraes), "Flores Astrais" (J. Ricardo/ J. Apolinário) e "Tercer Mundo" (J. Ricardo/ Julio Cortázar). O grupo era composto por: Ney Matogrosso, voz; João Ricardo, voz, violões, harmônica de boca; Gerson Conrad, voz e violões; Wander Tosh, guitarra e violão; Lili Rodrigues, voz; João Ascensão, baixo; Gel Fernandes, bateria; Lazy, teclados e Rubão, percussão. Texto : Edmilson Utta.

Texto abaixo por : Pandini GP

Foto: Antônio Carlos Rodrigues

Durou um ano, um ano e meio no máximo. Foi o suficiente para marcar uma geração e fazer história. Até hoje, os Secos & Molhados são lembrados por quem viveu a onda e cultuados por muita gente que nem era nascida quando o Brasil conheceu aqueles músicos de cara pintada, roupas e adereços coloridos, uma coreografia nunca vista antes e, principalmente, uma música original (ainda que não revolucionária como a de outra banda “cult” da época, os Mutantes) e de primeiríssima qualidade.

“Surgiram e acabaram logo (...) como se tivessem sido o brilho súbito de um quasar, uma suave explosão, um sonho irrepetível”, escreveu o jornalista Luiz Carlos Maciel no encarte do CD da série Dois Momentos que juntou os LPs dos Secos & Molhados de 1973 e 1974. O som do Secos & Molhados era resultado da bagagem musical do criador da banda, o português João Ricardo (violões, harmônica e voz), de Ney Matogrosso (voz) e Gerson Conrad (violões e voz). O rock era a referência principal, mas Ney levava um conhecimento de música brasileira que os outros não possuíam.

O primeiro LP, de 1973, com Ney e João (de barba) na frente, Gerson (de bigode) e Frias atrás: um sucesso como nunca havia sido visto no Brasil.

“O Vira”, do primeiro LP do Secos & Molhados (1973), da gravadora Continental, é uma das primeiras músicas que me lembro de ter ouvido na vida. Para mim, e para muitas crianças, a letra era lúdica e repleta de referências: remetia a histórias contadas pelos pais, fantasias, brincadeiras e cores. Os adultos ficaram fascinados pelo som e pelo visual dos músicos – e, também, pelos requebros de Ney Matogrosso, que despertaram a libido de muitas mulheres e homens. A aparição no programa de estréia do “Fantástico”, em setembro de 1973, transformou o Secos & Molhados em mania nacional: em apenas um mês, foram vendidas 300.000 cópias do LP de estréia – um número inimaginável numa época em que os LPs mais vendidos alcançavam 50.000 cópias por ano. Dez meses depois, a marca de um milhão estava prestes a ser superada.

O nome da banda era uma frase comumente vista nos empórios e mercados: para resumir a variedade de artigos à venda, muitos proprietários escreviam na fachada que vendiam “secos e molhados”. A famosa capa do LP de 1973 mostra Ney, João, Gerson e o baterista Marcelo Frias com as cabeças “servidas” em bandejas colocadas sobre uma mesa com garrafas de vinho, pães, batatas, cebolas, biscoitos e grãos – os tais “secos e molhados” encontrados nos empórios. Mas, quando o disco chegou às lojas, Frias já estava fora do grupo. Existem duas versões para sua saída. Uma: ele se recusava a usar maquiagem e seguir o visual dos outros integrantes. Outra: em dúvida quanto às perspectivas de sucesso do Secos & Molhados, o baterista teria preferido continuar a trabalhar por conta própria em vez de se comprometer em tempo integral com uma banda ainda não consagrada.

“Sangue Latino”, “O Vira” e “Rosa de Hiroshima” foram as faixas de maior sucesso. Quem comprou o disco pôde conferir ainda “Amor”, “O patrão nosso de cada dia”, “Assim assado”, “Mulher barriguda”, “El Rey”, “Prece cósmica”, “Rondó do capitão”, “As andorinhas” e “Fala”, que completavam a obra. Poetas de primeira linha tiveram obras musicadas por João e Gerson. “Rosa de Hiroshima” era de Vinicius de Moraes; “Rondó do capitão”, de Manuel Bandeira; e “As andorinhas”, de Cassiano Ricardo.

Segundo LP, de 1974. Tão bom quanto o primeiro, mas pouco divulgado: foi lançado quando Ney e Gerson já haviam saído do Secos & Molhados.

O Secos & Molhados tinha tudo para fazer sucesso por muitos anos, mas as brigas internas colocaram tudo a perder. João Ricardo colocou seu pai, João Apolinário (jornalista, crítico de teatro e co-autor de algumas letras das músicas do S&M), para empresariar a banda. Depois de muitas discussões, Ney e Gerson, descontentes com várias coisas (a partilha do dinheiro era apenas uma delas), decidiram sair.

A dissolução do Secos & Molhados foi anunciada em agosto de 1974, um dia depois da apresentação do clipe de “Flores astrais” no “Fantástico”. Todo o esquema de divulgação do segundo LP foi desativado e o disco teve vendagem e execução pífias – ao menos se comparadas às do disco de estréia. Uma pena, pois era tão bom quanto o primeiro e prosseguia na linha de musicar poemas de artistas consagrados: “Tercer Mundo” (de Julio Cortazar), “Não: não digas nada” (de Fernando Pessoa) e “O hierofante” (de Oswald de Andrade) estavam ao lado de “Flores astrais”, “Medo mulato”, “Oh! Mulher infiel”, “Vôo”, “Angústia”, “O doce e o amargo”, “Preto velho” e “Delírio” – todas excelentes. O álbum tinha outras duas faixas. “Toada & Rock & Mambo & Tango & etc” era um protesto contra a censura, com Ney, João e Gerson sussurrando “Diga que não sei de nada/nem posso saber” ao som de guitarra, baixo, bateria e sanfona. “Caixinha de música do João” era uma instrumental acompanhada pelos “lá-lá-lás” de Ney.

(Vale mencionar o lançamento, em 1980, de um LP com o registro do histórico show do Secos & Molhados que lotou o Maracanãzinho em 1974. Infelizmente, a gravação é muito ruim: em vários momentos, as vozes dos cantores desaparecem ou são abafadas pelos instrumentos. Dispensável e nunca relançado, mas os vinis existentes são oferecidos a preços inacreditavelmente altos nos sebos e sites de compras.)

Capa do LP de 1980 que registra o histórico show do Maracanãzinho, em 1974. Dispensável, de tão mal gravado que foi.


Em 1975, todos os (ex-)integrantes do Secos & Molhados lançaram trabalhos. O LP de Ney, “Água do Céu-Pássaro”, estourou com a faixa “América do Sul” – apenas o primeiro dos muitos sucessos de uma carreira solo que dura até hoje e já rendeu 29 álbuns. Gerson gravou um LP em dupla com Zezé Motta, “Gerson Conrad e Zezé Motta”. Depois, lançou apenas um disco, “GC”, em 1981. Teve pouca repercussão, tanto na época quanto em 2002, quando foi relançado em CD com o nome “Rosto Marcado”. Gerson foi bem sucedido como arquiteto, profissão que já vislumbrava quando entrou para o Secos & Molhados. João Ricardo lançou um LP homônimo (chamado por muitos de “álbum rosa” devido à cor da roupa com que ele posou para a foto de capa) e prosseguiu compondo e gravando. Seu trabalho mais recente, “Puto”, é de junho de 2007.

Determinar o período de existência do Secos & Molhados pode suscitar longas (e infrutíferas) discussões. Para o público e para muitos historiadores, a banda existiu apenas entre meados de 1973 e agosto de 1974 – ou seja, a fase de sucesso comercial. Mas o nome Secos & Molhados foi registrado por João Ricardo em 1970. Ney entrou no final de 1971 e Gerson no começo do ano seguinte. Até a gravação do primeiro LP, vários outros músicos passaram pelo S&M.


"A volta do Gato Preto", de 1988, com João Ricardo (à direita) e Totô Braxil na capa: tentativa de reviver o antigo sucesso usando referências ao período 1973/1974.


Após a saída de Ney e Gerson, João Ricardo lançou, além dos trabalhos solo, cinco ou seis discos do Secos & Molhados. Cada um teve uma formação diferente e nenhum chegou perto do sucesso de 1973/1974, apesar da divulgação gerada pelo nome e pelas muitas referências ao período da “formação clássica”. “Secos & Molhados”, de 1978, abre com uma faixa intitulada “Que fim levaram todas as flores?”. Dois anos depois, viria “Secos e Molhados” (assim mesmo, com o “&” sendo substituído por “e” na arte da capa), que fecha com “Vira Safado”. O LP “A volta do Gato Preto” (1988) tentou reviver a receita de outrora no título, no visual extravagante do músico Totô Braxil (parceiro de João até 1990) e na própria capa (uma foto de João e Totô sentados a uma mesa repleta de elementos presentes na capa do LP de 1973). A impressão geral é que João Ricardo nunca admitiu que, para o grande público, o Secos & Molhados acabou com a saída de Ney e Gerson em 1974.

Encontrar o CD “Dois em um”, que juntou os LPs de 1973 e 1974, não é tarefa das mais difíceis. Vale a pena ouvi-lo e conferir por que o Secos & Molhados é lembrado até hoje.


Secos e Molhados [1973]
Tracks
01- Sangue Latino
02- O Vira
03- O Patrão Nosso De Cada Dia
04- Amor
05- Primavera Nos Dentes
06- Assim Assado
07- Mulher Barriguda
08- El Rey
09- Rosa De Hiroshima
10- Prece Cósmica
11- Rondó Do Capitão
12- As Andorinhas
13- Fala
Secos & Molhados {1974]
Tracks

01- Tercer Mundo
02- Flores Astrais
03- Não Não Digas Nada
04- Medo Mulato
05- Oh Mulher Infiel
06- Vôo
07- Angústia
08- O Hierofante
09- Caixinha De Música Do João
10- O Doce Amargo
11- Preto Velho
12- Delírio
13- Toada & Rock & Mambo & Tango & Etc
Ao Vivo no Maracãnazinho [1974]
Tracks
01- As Andorinhas
02- Rosa De Hiroshima
03- Instrumental
04- Mulher Barriguda
05- Primavera Nos Dentes
06- El Rey
07- Toada & Rock & Mambo & Tango Etc
08- Fala
09- Assim Assado
10- Instrumental II
11- O Vira
A Volta dos Secos & Molhados [1978]
Tracks

01- Que Fim Levaram Todas As Flores
02- Lindeza
03- De Min Pra Você
04- Minha Namorada
05- Anônimo Brasileiro
06- Última Lágrima
07- Insatisfação
08- Oh Canção Vulgar
09- Como Eu Como Tu
10- Quadro Negro
11- Cobra Coral Indiana
DOWNLOAD


Em 1974 o Secos & Molhados se desfez, passando seus integrantes a atuar individualmente. Em dezembro de 1977 João Ricardo entra novamente em estúdio para gravar o terceiro disco dos Secos & Molhados com Lili Rodrigues, Wander Taffo, Gel Fernandes e João Ascensão. O lançamento foi em maio de 1978 e com ele surge nas paradas mais um sucesso do grupo "Que Fim Levaram Todas as Flores ?", música mais executada naquele ano. Dois anos depois, em agosto de 1980, junto com os irmãos Lempé - César e Roberto - lança o quinto disco e resolve viajar para Portugal, com a firme intenção de parar por um bom tempo.

Image and video hosting by TinyPic

Anos depois faz música através de seu selo independente e shows eventuais. A quinta formação dos Secos nasce no dia 30 de junho de 1987, com o enigmático Totô Braxil, num show espetacular no Palace. Em maio do ano seguinte sai o álbum "A VOLTA DO GATO PRETO" e shows até meados dos anos noventa. Em 1999, João Ricardo volta aonde tudo começou. "TEATRO" e mostra definitivamente a marca do criador dos Secos & Molhados. Com poemas marcantes, João Ricardo conta histórias, fala sobre filosofia, recorda pessoas, enfim, mostra a maneira com que um artísta vê e entende o mundo. Em 2000 é lançado o álbum "MEMÓRIA VELHA".



A Volta dos Secos & Molhados (1978)

Image and video hosting by TinyPic

01. Que Fim Levaram Todas as Flores?
02. Lindeza
03. De Mim Pra Você
04. Minha Namorada
05. Anônimo Brasileiro
06. Última Lágrima
07. Insatisfação
08. Oh! Canção Vulgar
09. Como Eu, Como Tu
10. Quadro Negro
11. Cobra Coral Indiana

Download "A Volta dos Secos & Molhados"



Secos & Molhados (1980)

Image and video hosting by TinyPic

01. Quantas Canções é Preciso Cantar?
02. Roído de Amor
03. Meu Coração Não Pode Parar
04. Sem as Plumas, Numas
05. Homenzarrão
06. Pão João
07. Muitas Pessoas
08. Você Faz Amor Engraçado
09. Pelos Dois Cantos da Boca
10. Aja
11. Contudo

Download "Secos & Molhados"



A Volta do Gato Preto (1988)

Image and video hosting by TinyPic

01. Sem Rei Nem Rock
02. Habitante da Guiné
03. Sangue de Barata
04. Eu Amo Dizer Te Amo
05. Aquém-Mar
06. Armadilhas com Vodu
07. Eu Estou Fugindo de Casa
08. Sonho de Valsa: Dancei
09. Estrábico-Democrático
10. Aventurar

Download "A Volta do Gato Preto"



Teatro ? (1999)

Image and video hosting by TinyPic

01. Tom de Dó
02. Teatro?
03. O soldado e o Anjo
04. Bola de Berlim
05. Fios de Tempo
06. Zanzibar
07. Sida
08. Puta
09. Rosinha, a Vermelha
10. SMGBL
11. Louca de Pedra
12. Sacaneou Animal
13. Dura Aquilo que Passar Pelo Tempo que Durar

Download "Teatro ?"



Memória Velha (2000)

Image and video hosting by TinyPic

01. Os Portugueses Deixam a Língua nos Trópicos
02. Foi Só Amor
03. Tom de Dó
04. Cantilena
05. Romântico Vício de Mel
06. Dura Aquilo que Passar pelo Tempo que Durar
07. Sangue de Barata
08. Sem Rei Nem Rock
09. Eu Amo Dizer Te Amo
10. Aventurar
11. Sonho de Valsa: Dancei

Download "Memória Velha"

publicado por wlasol às 19:06
tags:


Image and video hosting by TinyPic

Coletânea lançada em vinil em 1984 no Brasil pelo selo RGE Records.

Frases: "Sim, eu estive com o Jethro Tull durante três semanas! E daí?" Tony Iommi - 1971

"Sim, eu realmente gosto dele sim. Mas Tony roubou todos os meus álbums do Sinatra. De onde você acha que vem aqueles riffs?" Geezer Butler - 1980

"Nós éramos pobres. Literalmente pobres. Se não fosse pela mãe de Tony acho que não teríamos conseguido. Ela costumava fazer sanduíches e nos dava cigarros." Ozzy Osbourne - 1985

"Eu entrei na banda para viajar, não para ser um rockstar. Eu nem pensava em gravar um disco quando fizemos o primeiro álbum. Depois eu só queria dizer 'olha mãe, olha o que fizemos - minha voz em um pedaço de plástico para sempre'." Ozzy Osbourne - 1985

"A única decisão de Geezer é no restaurante, entre um sanduíche ou uma cerveja." Dio - 1983

"Eu frequentei um pisiquiatra por algum tempo. Ele fazia jogos com minha mente. Ele perguntava coisas como 'você se masturba'? E eu perguntava 'você respira'?" Ozzy Osbourne - 1975

Curiosidades

- O Sabbath pretendia fazer uma ópera rock baseada em "Iron Man".
- Uma vez, por brincadeira, Tony jogou fluido de isqueiro nas pernas de Bill Ward e tocou fogo nelas.
- Tony foi atacado com uma faca durante uma apresentação em Memphis.
- "Blood God" foi o primeiro título cogitado para "The Eternal Idol".
- Tony Iommi era o manager de diversas bandas nos anos 70, inclusive Judas Priest e Medicine Head.
- O artista principal de Jesus Christ Superstar, Geoff Fenolt, foi cogitado por Tony Iommi antes de Glenn Hughes para os vocais de "Seventh Star".


The Kings of Hell

Image and video hosting by TinyPic

01. The Wizard
02. War Pigs
03. Changes
04. Sabbath Bloody Sabbath
05. Sweet Leaf
06. Paranoid
07. Solitude
08. Black Sabbath
09. Cornucopia
10. Tomorrow's Dream
11. Laguna Sunrise

publicado por wlasol às 13:46
tags:

Image and video hosting by TinyPic

Dupla norte-americana, formada pelos texanos Jim Seals (violão) e Dash Crofts (bandolim), cujo trabalho caracteriza-se pela harmonia dos vocais e certa ingenuidade das letras. Ambos faziam parte do The Champs, onde Dash Crofts tocava bateria. Criaram juntos o grupo The Dawnbreakers, que terminou quando todos os integrantes se converteram à religião Baha'i. Os dois começaram então a atuar como duo, no início dos anos 70, utilizando a música para propagar sua crença (como, por exemplo, no LP "Unborn Child", que condena o aborto). Por volta de 73, ganharam o primeiro disco de ouro e, a partir de então, todo seu trabalho é ouro ou platina, embora a crítica os considere uma dupla pop tradicional com pretensões a fazer soul. Autores de todo seu repertório, ficaram muito famosos com a canção "Summer Brezze" de 72. Em 76, começaram a utilizar Carolyn Willis nos vocais e já fizeram trilhas sonoras para filmes e desenhos animados de Hanna- Barbera.


Greatest Hits

Image and video hosting by TinyPic

01. When I Meet Them
02. Diamond Girl
03. Hummingbird
04. Castles in the Sand
05. East of Ginger Trees
06. I'll Play For You
07. Ruby Jean and Billie Lee
08. King of Nothing
09. Summer Breeze
10. We May Never Pass This Way Again

publicado por wlasol às 13:44
tags:

Forrest Richard Betts nasceu em dezembro de 1943, e é mais conhecido como Dickey Betts, um dos fundadores do ‘The Allman Brothers Band’, junto com os irmãos Allman do título, Gregg e Duane, além do baterista Buch Trucks, do baixista Berry Oakley e do percussionista Jaimoe Johanson.

Betts iniciou sua bem sucedida carreira solo, com o primeiro disco em 1974, ‘Highway Call’. Três anos depois, Betts forma sua banda paralela, o ‘Great Southern’, com quem lançou dois discos em 77 e 78, respectivamente, ‘Dickey Betts & Great Southern’ e ‘Atlanta’s Burning Down’. Cada disco tem suas versões clássicas, e eu recomendo ‘Bougainvillea’ do disco de 77, e ‘Good time feeling’ do álbum de 78.

Depois desses álbuns, tanto os ‘Allman Brothers’, quanto o ‘Great Southern’ encerraram atividades, temporariamente, e Betts montou outra banda intitulada apenas ‘The Dickey Betts Band’. Essa banda incluía velhos companheiros do ‘Allman Brothers’, Chuck Leavell e Buch Trucks, como novos parceiros, Warren Haynes e Matt Abbs (os dois formariam posteriormente o Gov’t Mule, junto com Allen Woody).

Com essa banda ele lançou o disco ‘Pattern Disruptive’ e o bootleg ‘Lone Star Roadhouse’, que ainda tem participação de Jack Bruce, Rick Derringer e Mick Taylor.

Dickey Betts voltou a tocar com o ‘Allman Brothers’, mas acabou sendo expulso da banda por problemas com drogas. Betts largou as drogas e reformulou sua antiga banda a ‘Great Southern’ e lançou vários discos desde então. ‘The Collector # 1’ é um disco acústico e os dois ao vivo, ‘Instant Live’ e o áudio do dvd do show que Betts fez na ocasião da inclusão de seu nome no ‘Rock’n’Roll Hall of Fame’, o ‘Back Where It All Begins’.

No mais, acho que Dickey Betts está melhor sozinho do que com sua antiga banda, mas deixem que ele fale por si, “eu levei Phill Walden (Empresário do ‘Allman Brothers’ e dono do selo, ‘Capricorn Records’) à justiça para ele me pagar os milhões de dólares que me devia. Infelizmente, Phil admitiu falência e eu nunca recebi um tostão dessa grana. Então eu tive que trabalhar pra ganhar meu dinheiro todo de novo. Eu voltei a ser financeiramente bem sucedido, e continuo bem sucedido desde então. Não quero me vangloriar, mas eu não precisaria mais trabalhar se não quisesse, hoje em dia”.

1974 Highway Call

1. Long time gone
2. Rain
3. Highway call
4. Let nature sing
5. Hand picked
6. Kissimmee kid

Baixe aqui no LP

1977 Dickey Betts & Great Southern

1. Out to get me
2. Run gypsy run
3. Sweet Virginia
4. Way love goes
5. Nothing you can do
6. California blues
7. Bougainvillea

Baixe aqui no LP

1978 Atlanta’s Burning Down (& Great Southern)

1. Good time feeling
2. Atlanta’s burning down
3. Leavin’ me again
4. Back on the road again
5. Dealin’ with the devil
6. Shady streets
7. You can have her (I don’t want her)
8. Mr. blues man

Baixe aqui no LP

1988 Pattern Disruptive (& Band)

1. Rock bottom
2. Stone cold heart
3. Time to roll
4. The blues ain’t nothin’
5. Heartbreak line
6. Duane’s tune
7. Under the guns of love
8. C’est la vie
9. Far cry
10. Loverman

Baixe aqui no LP

1989 Lone Star Roadhouse (& Band)

Disc 1

1. Rock botton
2. Blue sky
3. Time to roll
4. Duane's tune
5. Blues ain´t nothing
6. Far cry
7. Hearthbreak line
8. In memory of Elizabeth Reed
9. Lover man
10. Jessica

Disc 2

1. Under the guns
2. Stateboro blues (& Rick Derringer)
3. One way out (& Rick Derringer)
4. Rock’n’roll hoockie coo (& Rick Derringer)
5. Spoontfull (& Jack Bruce, Mick Taylor & Rick Derringer)
6. Southbound (& Jack Bruce, Mick Taylor & Rick Derringer)

Baixe aqui o Disco 1 no LP
Baixe aqui o Disco 2 no LP

Esse disco também pode ser baixado pelo blogui amigo Seres da Noite. Valeu pelo link José Renato, e o Guess Who também é muito legal.

2001 Let’s Get Together (& Band)

1. Rave on
2. Let’s all get together
3. Immortal
4. Tombstone eyes
5. Here come the blues again
6. One stop bebop
7. I gotta know
8. Call me anytime
9. Dona Marie
10. All for you
11. Sing while I’m walkin’

Baixe aqui a Parte 1 no LP
Baixe aqui a Parte 2 no LP

2002 The Collector’s # 1 (& Great Southern)

1. Beyond the pale
2. Georgia on a fast train
3. One stop bebop # 2
4. Tangled up in blue
5. Steady rollin’ man
6. Change my way of livin’ # 2
7. The preacher
8. Seven turns # 3
9. Willy and po’ Bob

Baixe aqui no LP

2004 Instant Live (& Great Southern)

Disc 1

1. Little Martha
2. Steady rollin’ man
3. Blue sky
4. Change my way of living
5. Girl with the deep blue eyes
6. Donna Maria

Disc 2

1. Southbound
2. Nobody knows part 1
3. Nobody knows part 2
4. Where it all begins
5. Get away
6. Come on in my kitchen
7. Having a good time

Disc 3

1. In memory of Elizabeth Reed
2. Ramblin’ man
3. No one to run with
4. Seven turns
5. Jessica

Baixe aqui o Disco 1 no LP
Baixe aqui o Disco 2 no LP
Baixe aqui o Disco 3 no LP

2004 Back Where It All Begins (& Great Southern)

1. Statesboro blues
2. Blue sky
3. Change my way of living
4. Get away
5. Ramblin' man
6. Back where it all begins
7. Come on in my kitchen
8. Seven turns
9. In memory of Elizabeth Reed
10. No one to run with
11. Jessica

Baixe aqui a Parte 1 no LP
Baixe aqui a Parte 2 no LP

Bonus Disc

1. Southbound
2. Blue sky
3. In memory Of Elizabeth Reed
4. Donna Marie
5. Jessica

Baixe aqui o Disco Bônus no LP
publicado por wlasol às 13:43
tags:

Massive Attack O Massive Attack foi criado em 1988, na cidade de Bristol, na Inglaterra, são um dos pioneiros do gênero (por muitos considerados como os próprios inventores) do trip-hop.

1991 Blue Lines

Bluelines cover

Download

1994 Protection

Protection cover

Download

1995 No Protection

No protection cover

Download

1998 Mezzanine

Mezzanine cover

Download

2003 100th Window

100thwindow cover

Download

2004 Danny The Dog - Original Motion Picture Soundtrack

Danny The Dog OST

Download

Senha/password: erawilson.blogspot.com

publicado por wlasol às 13:41
tags:

Moody Blues dispensa apresentações. Como a discografia que possuo é muito longa (46 albuns), vou separá-la em quatro partes. Talves estejam estranhando o número de albuns, é que além dos albuns da banda propriamente dita, estarei postando o albuns solos dos caras, explicado?... e chega de lero e vamos ouvir os caras.


EVERY GOOD BOY DESERVES FAVOUR

TO OUR CHILDENS CHILDRENS CHILDREN





SEVENTH SOJOURN

DOWNLOAD


ON THE THERESHOLD OF A DREAM

DOWNLOAD

THE PROMISE
DOWNLOAD

HOPES WISHES & DREAMS DOWNLOAD


PRELUDE
A QUESTION OF BALANCE


HE MACNIFICENT MOODIES


BLUE JAYS



IN SEARCH OF THE LOST CHORD

DOWNLOAD

THE GRAEME EDGE BAND DOWNLOAD


PARADISE BALLROOM DOWNLOAD


FROM DIGHTY OAKS

DOWNLOAD

DAYS OF FUTURE PASSED DOWNLOAD

CAUGHT LIVE
DOWNLOAD

DOWNLOAD


1989 Justin Hayward - Classic Blue

DOWNLOAD



1989 The Moody Blues-The Singles

DOWNLOAD PART 1

DOWNLOAD PART 2


1996 Justin Hayward - The view from the hill
DOWNLOAD



1997 Justin Hayward - Live In San Juan Capistrano
DOWNLOAD PART 1

DOWNLOAD PART 2


1999 Strange Times
DOWNLOAD

2000 Hall Of Fame [UK]


DOWNLOAD


2001 Journey Into amazing Caves
DOWNLOAD



2003 December
DOWNLOAD


2004 Justin Hayward-Out Of Albums(Rarities)
DOWNLOAD PART 1
DOWNLOAD PART 2

2005 Lovely To See You - Live From The Greek



DOWNLOAD



senha lagrima psicodelica

publicado por wlasol às 13:40
tags:


Image and video hosting by TinyPic

A banda FOREST OF DEMONS foi formada em Criciúma (SC)no início de 2001, com a finalidade de tocar Black Metal, um som calcado em pura fúria, blasfêmia, na linha old school (Venom, Mayhem, Celtic Frost, Hellhammer, entre outros). Em 2002 a banda entra em estúdio e grava o 1º CD-Demo intitulada “In The Glance Of The Prophetic Darkness”, contendo 3 sons, mostrando fortes influências seminais do estilo, numa linha old school. Durante o período de início até 2003 a banda sofre algumas alterações em sua formação, sendo que esta estabilizada com: Baalzebuth (G/V), Astaroth (G), Memnoch(D), I. Tyrant (B), com essa formação entram em estúdio no início de 2004 e registram o 2º CD-Demo com o blasfemo e provocador titulo de “Summoning Of Hate And Pleasure”, contendo 5 sons do mais puro Black Metal. Em meados de 2004, Baalzebuth (G/V) sai da banda por motivos particulares. Logo após, Chamos (G/V) é convocado para assumir os vocais e guitarra, onde não haveria melhor substituto para tal posto. No início de 2005 a FOREST OF DEMONS entra em estúdio para gravar seu primeiro CD, auto intitulado. No final de 2006, Tyrant sai da banda por comum acordo entre os integrantes atuais. O posto de baixista foi preenchido por BERSERKER.


Forest of Demons

Image and video hosting by TinyPic

01. Evil´s Flames
02. Destroy the Legions of the Bastards
03. Warriors of Sathanas
04. Nosferatu
05. Unholy Rites Attack
06. Forest of Demons
07. Prisoner of the Eternal Pain

publicado por wlasol às 13:39
tags:

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

20




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO